A SIMPATIA AO DIABO

Comentários · 88 Visualizações

Havia na cabeceira da cama de uma mulher, uma pílula dourada, que continha veneno e, do outro lado, uma taça de vinho, de cor quase transparente e cheia.

Sentado na beira da cama, do outro lado, estava um homem belo, bem vestido e apresentável que de imediato abriu um sorriso

Aceitaria fazer um brinde comigo!?

Ela ficou emocionada e perplexa, pois era o homem mais belo, educado, simpático e culto que tinha conhecido em sua vida e que estava realmente lhe dando a atenção. Mas mesmo antes dela responder àquele cavaleiro, ele disse:

- Eu sei que você concorda comigo, sei que somente eu consegui dizer aquilo que você realmente queria ouvir, afinal, você é muito melhor que outras pessoas...

Olha, lembra aquela noite? Sim, aquela noite em que você foi traída? Fui eu que te mostrei a opção de reparar essa perda e cá entre nós, porque perder se você pode ter tudo?

Ela então abriu bem os olhos e disse: Sim! Foi a melhor noite da minha vida! Desde aquele dia eu não perco uma! Não deixo barato. Se desejo, logo luto pelo que quero e tenho, custe o que custar! Era você o tempo todo!?

Então olhando dentro dos olhos dela e abrindo o sorriso disse:

- Claro... estava o tempo todo alí, esperando você me permitir te fazer vencer. Você sabe que um bom vencedor é aquele que é capaz de ir além para vencer e nunca perder pra ninguém e você venceu com a minha ajuda. Você se parecia até comigo lutando daquele jeito, sabia?

Então, olhando para a taça de vinho, ela disse:

- Bom... essa conversa está muito boa... olhando bem pra você, eu até diria que já nos esbarramos por aí. Você tem um tom sedutor e é muito agradável. Diga-me uma coisa: até onde isso me levaria!?

Então fitando os olhos nela, ele disse sussurrando:

Te levaria ao paraiso, te faria descobrir segredos, te levaria ao topo comigo.

Então, ao ouvir aquela voz, ela disse:

- Quando? Não está me enganando?

Então, olhando para ele e pensando bastante, ela é interrompida por ele que diz:

- Sabe, a idéia foi minha e eu precisava te encontrar para me apresentar a você. Percebi a tua descrença no que chamam de Deus e eu posso te afirmar: você pode confiar em mim! Afinal, posso te dizer uma coisa? Você não precisa da aprovação de ninguém e ninguém te governa. Se liberte disso! Olhe para mim, o que você percebe ao me ver?

Ela diz: Percebo que você é bem solto, bem direto (risos).

- Então seja como eu! Vamos fazer melhor. Olha, vejo que você tem simpatia por mim e percebo que não tem críticas acerca da
minha ajuda ou do meu jeito de resolver as coisas. Vou te entregar este convite, você aceita!?

- Sim! (Ela responde)

Então vamos brindar à isso:
À NOSSA LIBERDADE!

Então virando para ele disse ela:

- Qual é o seu nome?

Disse ele: O meu nome? Sou o que você quer que eu seja, sou o que você desejar, sou o que você procura. O meu nome é um enigma, um mistério (risos).

Então, olhando ela assustada para ele disse:

- O que eu quero, o que eu desejo, o que eu procuro?

Então depois de um silêncio sepulcral e olhando para baixo, voltou os olhos para a cabeceira da cama e perguntou!?

Você é o diabo? Você é O DIABO?

Então em tom de lamentação e abrindo um breve sorriso ele diz:

NUNCA! Não sou tão antipático e muito menos estou acusando alguém agora. Digamos que sou aquele que te apresenta a oportunidade de ser livre, afinal, por sua simpatia à minha pessoa, foi o que me trouxe a te conhecer.

Estou te dando a oportunidade e pessoalmente te convidando para participar da minha festa.
Estou feliz!

Entretanto, não se atrase, será às 6 Horas da noite e não esqueça de falar a senha.

Então, ela confusa ainda com tudo, perguntou:

- E qual é a senha?

ELE diz: Por ser tão simpática comigo, só para você eu vou falar: é 666.

Quando, de repente, ela desperta e percebe que algo lhe foi revelado. Ao olhar as cabeceiras de sua cama, percebe que estão vazia e nada em cima! De repente, ela ouve alguém dizer:

Se você não demonstrar o total ódio ao diabo, ele entenderá que você têm Simpatia por ele.

1 Pe 5.8

Ap. ADONAI ELOIN SOUZA

Ler mais
Comentários